Oferta!

UDCA 70 mg + Silimarina 200 mg + Ferro (Bisglicinato) 20 mg – 60 CÁPSULAS

R$155,00 R$135,00

A Silimarina é principal ativo de um grupo de compostos naturais (silibina, silidianina e silicristina) extraída de uma planta medicinal chamada Carduus Marianus, sendo encontrada nos seus frutos, folhas e sementes. A Silimarina impede a peroxidação dos lipídeos da membrana celular e das organelas dos hepatócitos, protegendo, desta forma, a integridade e a função hepática de eventuais substâncias tóxicas, tanto de origem endógenas como exógenas, diminuindo também o estresse oxidativo.

Ácido Ursodesoxicólico (UDCA) é um ácido biliar fisiologicamente presente, embora em quantidade limitada. O ácido ursodesoxicólico inibe a síntese hepática do colesterol e estimula a síntese de ácidos biliares, restabelecendo desta forma o equilíbrio entre eles. O ácido ursodesoxicólico aumenta a capacidade da bile em solubilizar o colesterol, transformando a bile litogênica em uma bile não litogênica (que solubiliza o colesterol), prevenindo a formação e favorecendo a dissolução gradativa dos cálculos. 

O Ácido Ursodesoxicólico é um medicamento indicado para doenças hepato-biliares (doenças do fígado e vias biliares) e colestáticas crônicas 

O Ferro Bisglicinato Quelato é um composto de ferro que apresenta maior tolerabilidade e causa menor incidência de efeitos adversos em comparação aos sais de ferro, como o sulfato ferroso. Ele é composto por duas moléculas do aminoácido glicina ligadas ao íon ferroso (Fe2+) por meio de ligações covalentes. É um elemento essencial na constituição da hemoglobina e da mioglobina, transportador de oxigênio, associado com cobre e cobalto, ajuda na prevenção da anemia.

Posologia: Dosagem usual: Conforme orientação veterinária.

SKU: PVO209126 Categoria:

Descrição

O Ácido Ursodesoxicólico é usado na dissolução dos cálculos biliares de colesterol e no tratamento das dispepsias de origem biliar. Inibe a síntese hepática de colesterol e promove a síntese de ácidos biliares, restabelecendo, desta forma, o equilíbrio. O ácido ursodesoxicólico é utilizado em clínica para o tratamento de doenças das vias biliares, sendo indicado para aumentar a capacidade da bile em solubilizar o colesterol, transformando a bile litogênica em não litogênica, provocando a dissolução gradativa dos cálculos. Colerético, litolítico e hepatoprotetor, especialmente indicado como adjuvante das hepatites crônicas.

Tratamento da forma sintomática da cirrose biliar primária, Litíase residual do colédoco (pedra residual no canal da vesícula biliar) ou síndrome pós-colecistectomia (formação de novas pedras após cirurgia das vias biliares), Dispepsia (sintomas como dor abdominal, azia e sensação de estômago cheio) na vigência de colelitíase ou póscolecistectomia (doenças da vesícula biliar, com ou sem cálculos e, pós-operatório de cirurgia da vesícula biliar), Discinesias (alterações do funcionamento) de conduto cístico ou da vesícula biliar e síndromes associadas, Hipercolesterolemia e hipertrigliceridemia (alterações lipêmicas por aumento do colesterol e/ou triglicérides), Terapêutica coadjuvante da litotripsia extracorpórea (dissolução de cálculos biliares por ondas de choque) para a dissolução dos cálculos biliares formados por colesterol em pacientes que apresentam colelitíase, Alterações qualitativas e quantitativas da bile (colestases).

 A Silimarina é o principal ativo de uma planta medicinal chamada Carduus Marianus, sendo encontrada nos seus frutos, folhas e sementes. A Silimarina representa uma mistura de flavolignanas (silibina, isosilibina, silidianina e silicristina) e flavonoides. É um fitoterápico muito utilizado para tratar distúrbios hepáticos. Protege o fígado; Ajuda no tratamento de doenças hepáticas; Auxilia nos distúrbios gastrointestinais; Melhorar a digestão. ​O Carduus Marianus, é uma planta medicinal muito utilizada para problemas no fígado e na vesícula biliar, por exemplo. O seu nome científico é Silybum marianum. Além de atuar no fígado e vesícula biliar, aumenta a produção de leite materno. Possui propriedade anti-inflamatória, adstringente, digestiva, diurética, regeneradora e anti-séptica, podendo ser utilizada para auxiliar o tratamento de enxaqueca, enjoos, varizes, problemas no baço ou na vesícula biliar. A Silimarina atua diretamente nas células do fígado que estão lesionadas devido ao excesso de substâncias tóxicas, como por exemplo o álcool, regenerando-as e impedindo novas lesões. Assim, pode ser utilizada para auxiliar o tratamento de cirrose, hepatite ou gordura no fígado. Por facilitar o funcionamento do fígado e ajudar na eliminação de toxinas, é muitas vezes utilizado associado a dietas para ajudar no processo de emagrecimento e para ajudar a pessoa a adaptar-se melhor ao aumento da atividade física. As gestantes ou mulheres em fase de aleitamento devem fazer uso dessa planta apenas com a orientação médica. Isso porque apesar de ter sido identificado que essa planta aumenta a produção de leite materno e nenhuma de substâncias é encontrada no leite, ainda são necessários mais estudos para, de fato, confirmar que o seu consumo não traz risco para a mãe ou para o bebê.

A Silimarina reduz os níveis séricos das lipoproteínas de baixa densidade (LDL) e a biossíntese do colesterol, possivelmente por inibição da enzima 3-hidroxi-3-metilglutaril coenzima A-redutase. Também foi observada redução da concentração do colesterol biliar com o uso da Silimarina. Estudos demonstram que Silimarina protege a célula do fígado da influência nociva de substâncias endógenas e exógenas. Também demonstraram, em animais, acelerar a regeneração do parênquima hepático pelo aumento da síntese de RNA do fígado. Silimarina auxilia no tratamento de distúrbios digestivos funcionais que ocorrem nas hepatopatias. Atua de forma benéfica como adjuvante no tratamento das doenças hepáticas inflamatórias crônicas. O efeito terapêutico da Silimarina é baseado em sua influência sobre a permeabilidade e a função excretora das células hepáticas, bem como na sua eficiência metabólica. É um potente estabilizador hepático, preservando a função fisiológica hepática.

A Silimarina é principal ativo de um grupo de compostos naturais (silibina, silidianina e silicristina) extraída de uma planta medicinal chamada Carduus Marianus, sendo encontrada nos seus frutos, folhas e sementes. A Silimarina impede a peroxidação dos lipídeos da membrana celular e das organelas dos hepatócitos, protegendo, desta forma, a integridade e a função hepática de eventuais substâncias tóxicas, tanto de origem endógenas como exógenas, diminuindo também o estresse oxidativo.

 O Ferro Bisglicinato Quelato é um composto de ferro que apresenta maior tolerabilidade e causa menor incidência de efeitos adversos em comparação aos sais de ferro, como o sulfato ferroso. Ele é composto por duas moléculas do aminoácido glicina ligadas ao íon ferroso (Fe2+) por meio de ligações covalentes. É um elemento essencial na constituição da hemoglobina e da mioglobina, transportador de oxigênio, associado com cobre e cobalto, ajuda na prevenção da anemia. a. Previne a anemia devida à ausência de Ferro, diminui a mortalidade de filhotes, aumenta a massa muscular, com aumento de peso melhorando a saúde. Nos filhotes, aumenta consideravelmente o crescimento. Melhora o índice de conversão dos alimentos. Aumenta a fertilidade e favorece o aumento da prole. 

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “UDCA 70 mg + Silimarina 200 mg + Ferro (Bisglicinato) 20 mg – 60 CÁPSULAS”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *